Alunos de escolas de todo o mundo entraram em greve hoje para exigir ação contra a mudança climática.

Se espera que mais de um milhão de jovens participem dos protestos em pelo menos 110 países nesta, sexta-feira, dia 24. O protesto também feito de forma online leva o pensamento crítico para estudantes de diversos países e hashtags como #Fridaysforfuture e #Climatestrike para apoiadores da causa.

 

<h1>Furacão Greta: estudantes saem às ruas para lutarem contra aquecimento global</h1>

Com seu público sendo de maioria meninas, as estudantes estão pedindo aos políticos e empresas que tomem medidas urgentes para desacelerar o aquecimento global. Além disso, segundo estudo realizado na Universidade da Carolina do Norte: crianças ganham espaço para influenciar e ensinar os  pais sobre mudanças climáticas. Um novo cenário muito importante de se falar, independente da idade, e no qual o Força Meninas teve a honra de explicar neste último sábado na rádio CBN.

As greves são inspiradas na sueca Greta Thunberg, 16 anos, que está mobilizando o mundo ao mostrar que a voz dela tem força ao e se tornar uma figura global ao protestar e falar publicamente sobre o assunto.

No ano passado, Greta começou a marcar presença na mídia ao carregar uma placa de “greve escolar por mudança climática” na frente do parlamento sueco e ao se recusar a assistir às aulas até que os políticos suecos tomassem em ação.

Com falas concretas como “hoje a maioria dos pais estão ocupados discutindo se nossas notas na escola são boas, ou sobre uma nova dieta enquanto o planeta queima”, o movimento inspirado por Greta se consolida nesta sexta-feira. Sendo este um passo inicial para estratégias futuras como o convite anunciado para todos os adultos  se mobilizarem juntos em um protesto global marcado para acontecer no dia 20 de setembro.

Os jovens pedem aos cidadãos que abandonem o trabalho antes de uma cúpula crucial da ONU, que vai ocorrer no dia 23 de setembro, na qual as nações estão sendo estimuladas a declarar ambições muito mais fortes para enfrentar a emergência climática.

Se você também quer participar desse movimento siga as hashtags #Fridaysforfuture e #ClimateStrike e marque a gente na suas publicações com o #forçameninas #minhavoztemforça para mostrar que SIM, juntas, a nossa voz tem força!

Fonte:

 (The Guardian) e  (BBC)

Deixe um comentário