From wherewe stand (1)

 

Informação hoje em dia é o que não falta. Difícil é saber quais delas são relevantes para nós e, ainda mais importante, quais são confiáveis e verdadeiras. Pensando nisso, a equipe da Força Meninas compila periodicamente o que há de mais essencial e importante para você que tem como missão fortalecer uma menina.

São notícias, artigos, vídeos e demais conteúdos sobre elas ou sobre assuntos que tangenciam o seu mundo. Tudo para que vocês possam tomar decisões informadas e qualificadas e ela possa trilhar o caminho que escolher.
Confira a seleção da última quinzena:


 

TECNOLOGIA

Dandara: conheça o game brasileiro que traz uma mulher negra como protagonista!
Dandara conta com uma mulher negra como protagonista e um enredo bastante influenciado por produtos histórico culturais.

Dandara dos Palmares, personalidade histórica que viveu em Alagoas durante o durante o século XVII e lutou contra a escravidão, é uma das principais referências. Outra referência bastante presente na arte do game é a obra “Abaporu”, de Tarsila do Amaral. Saiba mais aqui.


SOCIEDADE

– Sobe para 40% a participação de mulheres na Campus Party
A apesar de ainda serem minoria, as mulheres compõem uma parcela recorde entre os participantes da edição de 2018 do evento: 40%. No ano passado, essa fatia era de 36% e há três anos, de 27%.

A Campus Party contou com diversas atividades voltadas a promover o aumento da representatividade feminina nas carreiras de tecnologia, como um “manifesto” realizado por coletivos feministas, palestra que expôs alguns obstáculos que as mulheres enfrentam nesse meio. Leia a história completa aqui.

 

–  Apenas 17% dos programadores brasileiros são mulheres
Relatório “Por um Planeta 50-50: Mulheres e meninas na ciência e tecnologia”, realizado pela Serasa Experian em parceria com a ONU Mulheres mostra a dificuldade de mulheres para entrar nos mercados de tecnologia — que remuneram bem — e ciência.

Elas são minoria nos cursos de ciências e tecnologia nas faculdades e correspondem a apenas 17% do total de programadores — ou seja, ficam fora de uma das carreiras mais promissoras, que oferece boas perspectivas de remuneração, ascensão profissional e visão de novos negócios. Leia a notícia completa aqui.

– Menino não chora’ e outras 4 frases para não dizer ao filho…
Tudo o que falamos para as crianças têm um impacto significativo na forma como elas vão agir no dia a dia, umas com as outras, e no futuro. Para os meninos, certas frases machistas, limitantes e carregadas de preconceito podem gerar muito sofrimento em qualquer fase da vida. Veja exemplos para eliminar já das conversas em família aqui.

– Para mães e filhas: Lady Bird está nos cinemas!
O filme mais bem avaliado da história pelo site Rotten Tomatoes estreou nos cinemas brasileiros! Lady Bird conta a história de Christine McPherson, que está no último ano do colégio e deseja é ir fazer faculdade longe de sua cidade, ideia rejeitada por sua mãe.

Lady Bird, como a garota exige ser chamada, não se dá por vencida e leva o plano de ir embora adiante mesmo assim. Dirigido por Greta Gerwig, o filme tem 5 indicações ao Oscar. Confira o trailer aqui:


MENINAS QUE FAZEM A DIFERENÇA
– Alunas da Etec de Osasco criam aplicativo para localizar pessoas desaparecidas
Maiala Safira Vieira Gomes, de 16 anos, e suas colegas do curso técnico de Administração Integrado ao Ensino Médio, Vitoria Mazoni Castillero e Vittória Vieira Zachi, trabalharam na elaboração do Find Lost, um aplicativo para localizar pessoas desaparecidas.

A ideia veio porque Maiala passou dois dias procurando sua irmã, que tem deficiência e sumiu após ir à farmácia.

Elas pretendem integrar o sistema com delegacias e hospitais, ajudando a localizar cidadãos sem documentos que dão entrada nesses locais. Leia a história completa aqui.

 

– ‘O professor pagava meu almoço’: a jovem de periferia aprovada em um dos vestibulares mais difíceis do país
Bárbara da Costa Araujo é a primeira pessoa de sua família a entrar na faculdade. E não qualquer faculdade: a jovem da periferia de Fortaleza é uma das 98 aprovadas no Instituto Militar de Engenharia (IME), em uma prova com ênfase em exatas e disputada por mais de 6 mil alunos do país. Bárbara mora com a avó e a mãe, que trabalharam praticamente a vida inteira fazendo faxinas. Desde a adolescência a jovem batalha para superar as dificuldades e conseguir estudar em instituições de ponta. Leia a história completa aqui.

– Martha, Rania, Nasra e Tamsin
Elas lutam contra a desigualdade de gênero, a mutilação genital feminina, a radicalização de jovens britânicos e a escravidão moderna.

São algumas das jovens britânicas que estão mudando suas realidades e foram homenageadas pela BBC local na comemoração dos 100 anos do voto feminino na Inglaterra. Conheça suas histórias (em inglês).

Deixe um comentário