Dia das Mães: Eu sou a Bê, conheça a menina que adorava desenhar e tornou-se uma mãe criativa

Nesta semana especial, convidamos mães de meninas com trajetória inspiradoras para compartilharem suas experiências e aspirações para suas meninas e meninos. A nossa primeira entrevistada é a designer de moda e ilustradora Luísa Simões, de Belo Horizonte (MG) que queria desenhar… a própria gravidez! Mãe de Manuela, ela criou a personagem Bê usando apenas caneta nanquim e aquarela. Atualmente ela transformou o sonho em realidade e  faz sucesso nas redes sociais criando aquarelas personalizadas.

eusouabê2

 

( Força Meninas) Eu sou a Bê é repleto de inspiração, criatividade e poesia essas características tem relação com a Luiza menina? O que a menina Luiza gostava de fazer?

O desenho sempre foi uma forma de comunicação para mim. Desde muito criança, me lembro de recorrer aos papéis e lápis de cor para expressar o que eu sentia ou queria dizer. Fui uma criança de cidade grande, sem muito chão verde para correr. Minha cabeça é que me abria muitos mundos novos, assim como meus desenhos, que era o que eu mais adorava fazer.

( Força Meninas) Mães desempenham um papel muito importante como modelo e inspiração para suas filhas. Você acredita que a  sua relação com a sua mãe a ajudou a desenvolver seu potencial?

Sem dúvida. Mais do que uma inspiração: minha mãe me estimulou e permitiu que eu percorresse esse caminho desde pequena. Minha casa sempre foi rodeada de artistas, pessoas interessantes e engajadas culturalmente. Mamãe tinha amigos assim. Sempre muita música, sempre muita risada e muita sensibilidade!

( Força Meninas) Você iniciou o Eu sou a Bê ao engravidar. Como a gravidez  ressignifcou sua relação com o trabalho?

eusouabe A gravidez foi um tapa na cara para mim, no bom sentido. Me vi gestando uma vida, trabalhando muito e correndo atrás de algo em que eu não acreditava como futuro. Adorava fazer o que eu fazia, mas me sentia pressionada o tempo todo, aflita o tempo todo, cobrada o tempo todo. A gravidez me fez parar para pensar onde eu queria chegar. Quem eu queria ser aos olhos da minha filha. E aí, meus conceitos começaram a mudar…tomaram novas formas. Foi aí que eu comecei a repensar minha escolha, meu estilo de vida, minhas prioridades. A mudança começou aí.

 

( Força Meninas) A Bê empreendedora, mãe, filha e esposa são a mesma pessoa. Com certeza, não é fácil desempenhar todos estes papéis. Como estas relações te ajudam a fazer escolhas no seu dia a dia e te motivam a ser uma lider?  E qual o papel da família na motivação de uma menina e depois de uma mulher na construção de seu futuro?

Na verdade, esse conceito de liderança é complicado para mim. Prefiro falar em “compartilhamento”, em “escolhas”, em “amor”. Acho que são pilares fundamentais para dar conta de tudo. Esses papéis são muito orgânicos para mim, se alternam quase que involuntariamente e fazem parte de quem me tornei. Sem dúvida, minha família teve fundamental importancia na formação de quem sou hoje. Os valores com os quais convivi foram importantes alicerces para que eu seguisse meu caminho. Sempre fui muito estimulada a estudar, correr atrás do que eu queria. Os tombos também foram importantes para que eu aprendesse a me levantar.

( Força Meninas) Quais são o maiores desejos da Bê mãe para o futuro da sua menina? 

Desejo que minha filha possa ser quem ela é, quem ela quiser ser. Desejo que seja livre e que tenha responsabilidade sobre suas ações. Desejo que saiba dar o devido valor às suas conquistas, às pessoas que estão à sua volta, às relações que construir pela vida. Desejo que o amor seja a semente que ela mais cultive. Desejo que seja ela..Manuela.

( Força Meninas) Você acredita que o desenvolvimento de meninas hoje pode contribuir para a construção de um futuro mais igualitário para todas as mulheres? Como você constrói esse futuro no seu dia a dia ?

Certamente. Não só o desenvolvimento de meninas, mas de meninos também. É preciso transformar a maneira de pensar. Precisamos saber que estamos longe de ser o “sexo frágil”, que somos pilares importantíssimos da nossa sociedade e que podemos chegar onde quisermos. Tento passar esses valores para os meus filhos, para as pessoas a minha volta. Tento passar isso através do meu trabalho, da minha história.

( Força Meninas) Na sua opinião quais serão as caracteríticas mais importantes para que meninas sejam empreendedam e transformem no futuro?

Bem, a primeira e mais importante é: confie em você mesma. A auto-confiança é tão importante para conseguirmos dar o primeiro passo. É preciso compreender que não precisamos da aprovação do outro para seguirmos. Basta querermos e agirmos. É preciso, também, aprender a se levantar dos tombos, saber que erros e deslizes fazem parte da caminhada. E amor..ah…o amor. Esse sentimento é fundamental. É o que nos conecta com nosso propósito de vida, com nossas metas, com a nossa verdade.

( Força Meninas) Qual conselho a Bê mãe daria para outras mães que buscam desenvolver meninas saudáveis, autoconfiantes e autonômas?

Meu conselho é: sejam saudáveis, autoconfiantes e autônomas. Filhos são frutos dos exemplos que tem dentro de casa.

( Força Meninas) Qual a mensagem da Bê para meninas que sonham grande como ela sonhou?

Você é capaz! Você é maior do que pensa. Você é mais forte do que pensa. Você dá conta de muito mais do que você pensa. Não se subestime. Acredite.

 

Obrigada Bê foi uma delícia conversar com você e compartilhar esse sonho!

 

Conheça mais sobre o trabalho dela em: https://www.facebook.com/abestudiocriativo/

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *